Nossa História

Pelos idos de 1909 e 1911 aportaram à região nordeste da Bahia, os missionários: William Waddel, Pierce Chamberlain e Mac Call que evangelizaram grande área desta região e em particular o município de Campo Formoso, destacando-se as fazendas Alazão, Quixaba e Fortaleza onde respectivamente residiam as famílias: Galvão, Regis e Cunha e que numa oportunidade inspiradora e privilegiada foram atingidos pela Palavra de Deus e pela instrumentalidade dos referidos missionários.

A atuação proficiente do Reverendo Henry Mac Call em algumas visitas à região o levou a receber por profissão de fé e batismo as referidas famílias e numa das últimas visitas o fazendeiro da Quixaba dirigiu a seguinte expressão ao missionário visitante Rev. Henry Mac Call: “Rev. Precisamos educar os nossos filhos” e em resposta recebeu a promessa logo cumprida, da remessa de uma competente professora vinda de Ponte Nova, hoje Wagner, fruto do trabalho do Rev. William Alfred Waddell.

Alfabetizadas as famílias Regis e Galvão, lá pelos idos da década de 20, mudaram-se para a cidade de Campo Formoso onde em 21.01.1924 organizava-se oficialmente a Igreja Presbiteriana de Campo Formoso pelo presbitério Bahia-Sergipe e sob o primeiro pastorado do Rev. Augusto da Silva Dourado.

A escola da Quixaba que recebeu o nome de Escola Americana “foi a célula genetriz do trabalho educacional em Campo Formoso”.

Sob o signo “pioneirismo, trabalho e fé” as famílias Regis e Galvão que aí se instalaram e organizaram uma firma comercial de destaque em toda esta região; entre os seus projetos se destacaram: A construção do 1º Templo Evangélico Presbiteriano e mais tarde, pela falta de um estabelecimento de ensino fundamental foi fundado o
antigo ” Ginásio Augusto Galvão” que atraiu estudantes de toda essa região Nordeste da Bahia.

Mais precisamente em 10 de outubro de 1946 era lançada a pedra fundamental do Novo Ginásio Augusto Galvão que recebeu esse nome e o conserva como seu Patrono em homenagem a este Presbítero que em acidente de automóvel descendo a serra de Petrópolis, faleceu, justamente quando se dirigia ao Ministério de Educação em busca da autorização oficial para o funcionamento do estabelecimento.

A firma Silva Regis e CIA naquele ano e no ato de balanço comercial da mesma foi reservada a quantia especial para o início da obra de construção no vasto terreno que era uma pastagem do sócio da firma e presbítero da Igreja: Arthur de Oliveira Regis.

O ato de lançamento da pedra fundamental contou com a presença do governador do Estado: Dr. Otávio Mangabeira, do secretário de Educação Dr. Anísio Teixeira, trazidos pelo Deputado Rev. Basílio Catalá de Castro, parlamentar da Assembléia Legislativa do Estado da Bahia.

Pioneiro da região, o Ginásio crescia e suas instalações foram se tornando limitadas e exigindo ampliações sucessivas quando se enfrentava dificuldades para atender à demanda e a procura do novo e pioneiro Ginásio de Campo Formoso.

A fé e o esforço conjugados fizeram com que se construíssem novas salas de aula, novos sanitários, um auditório, área livre, ampla e toda murada,citando também a área limitada de esporte.

O velho Ginásio organizou o seu curso pedagógico onde e quando foram diplomados centenas de Professores para esta região e transformado em Colégio Augusto Galvão de 1º e 2º graus que tem preparado centenas de alunos em busca das Universidades.

A Faculdade foi criada pelo Colégio Augusto Galvão e autorizada pelo MEC, Portaria 491 de 02 de junho de 2009, tendo como meta uma formação cívica, moral, cultural, educacional, artística, literária e científica em ambiente de fé cristã evangélica reformada.